quarta-feira, 27 de maio de 2009

Das duas cinco, ou o pessoal não tem gosto e empenho pelo que faz ou eu tenho cara de palhaça. É que só pode! Se ontem aconteceu o que aconteceu na farmácia, ao pedir informações sobre um produto de beleza, hoje a cena não foi melhor. Eis que entro numa loja com artigos de entretenimento e diversão (cuidado com essas mentes maliciosas), afim de comprar balões de moldar, e pergunto ao funcionário quais os balões mais resistentes. Conseguem adivinhar a resposta? Não é difícil, pois não? O moço olhou para mim, olhou para os balões, olhou para a entrada da loja, onde estava uma colega a atender, voltou a olhar para mim e diz que não sabe, que é uma questão de ler o rótulo! Respirei fundo, contei até três, agradeci e virei costas. É que não há paciência. Mas está tudo louco? Contas feitas, atravessei Lisboa para ir a um estabelecimento onde os empregados além de simpáticos, sabem aconselhar.
É por estas e por outras que sou uma gaja com o chamado mau feitio. Pudera, só me gozam. É que ao final de 30 anos, a paciência vai esgotando, ai vai vai!!! Um dia ando à chapada....


Até amanhã ou depois!

4 comentários:

HannaH Sophia disse...

pois pois...chama-lhes baloes de moldar ihihihihih

MARIINHA disse...

É o mal da maioria dos empregados que estão a atender o público. Não têm brio profissional. Estão ali como se estivessem a fazer um frete. Já me tem acontecido entrar e sair duma loja, e as empregadas se estão a conversar, deixam-se ficar na mesma, não se dão ao trabalho sequer de perguntar se preciso de ver alguma coisa. Nada! Beijinhos

Analog Girl disse...

Ahahahaha!
Só te acontecem destas!
O que ainda me choca imenso é alguns empregados das lojas desatarem a falar mal do patrão à nossa frente.
Uma vez apanhei umas numa loja de roupa interior, em que estava no provador, uma das empregadas passa e diz com todas as letras "epá, estou fo**** este fim de semana saio sempre à meia-noite" (ou qualquer coisa do género), e o que mais me espantou foi quando eu saí do provador, a rapariga nem ficou minimamente atrapalhada por ter tido aquela atitude enquanto eu ali estava.
É incrível!

Pedro disse...

Infelizmente já não há brio nem profissionalismo. Até parece que há muito emprego por aí, mais não seja por essa razão...