domingo, 25 de outubro de 2009

Hoje dei por mim a divagar sobre essa coisa chamada lei da atracção, por isso vou aqui divagar um pouco, na expectativa de saber quem de vocês concorda com esta verborreia.
Todos os dias nos cruzamos com pessoas que desconhecemos, com as quais não trocamos uma única palavra, quanto muito um olhar. Algumas com histórias de vida semelhantes à nossa, ou pelo contrário, com vivências díspares. Todos somos únicos, diferentes, com maneiras de ser e estar que nos caracterizam. Seres que vivem e convivem em sociedade, porque a lei da vida assim obriga. Vamo-nos adaptando, conformando com o que temos, recebemos ou lutamos. Defeitos e virtudes conferem a cada Homem a sua marca, aquela que funciona como íman. Não é ao acaso que nos identificamos mais com A ou com B. É à lei da atracção que devemos o núcleo social onde nos inserimos, nem que seja uma inserção passageira, de curta duração. Claro que existem excepções, porque nem sempre nos encontramos em meios com os quais nos identificamos. Nada é estanque, são as excepções que confirmam a regra. A questão é, quem de nós se sente perfeitamente inserido nos seus núcleos sociais?


IMG DR

Até amanhã ou depois!

1 comentário:

João Pedro disse...

Interessante, a tua dissertação sobre este assunto. Acredito na lei da atracção. Deixo-te aqui um link com um texto igualmente interessante sobre este assunto.

http://www.erhnam.com/artigos/lei-da-atraccao-realidade-ou-ficcao.html

Beijo,