domingo, 25 de outubro de 2009

Há quem acredite no destino, numa força invisível que nos aproxima ou afasta. Dizem que está traçado desde o dia em que viemos ao mundo. Que a ele devemos o que de bom e mau vamos recebendo a cada dia que passa. E que não há como contorna-lo, porque é mais forte, porque foi escrito por uma força superior, que ninguém consegue identificar com precisão. Depois existe quem defenda o destino como sendo fruto das nossas atitudes, vontades, perseverança, entre muitas outras características. Se me perguntarem o que eu acho sobre o tema!? Não tenho resposta argumentativa. Acredito que algo nos leva até determinado porto, mas não sei se isso se deve ao destino, ao nosso empenho ou apenas a uma coincidência. Acredito que todos já nos deparamos com cenas aparentemente inexplicáveis, achando que o causador é o tal destino. Mas será que é mesmo assim? Será que não são os percursos por nós escolhidos, ou para os quais somos atirados, que nos fazem viver determinada experiência, conhecer determinada pessoa, agir de determinada forma? Mas sim, por vezes é mais fácil acreditar no desconhecido e dizer que ele, o destino, é o responsável por isto ou por aquilo. Desde que o destino me leve até bom porto, não me importo nada de o defender, porque chegar a um porto sem puder atracar, não pode ser obra do acaso, mas sim de alguma cegueira, a que não nos deixou ver para onde navegámos, sem antes confirmar se haveria lugar para abarcar.

IMG DR


Até amanhã ou depois!

8 comentários:

João Pedro disse...

Eu acredito no destino. Mas também acredito que este não nos limita só a um caminho. Confere-nos a oportunidade de escolha:
Por aqui ou por ali. E nesse momento, a escolha é nossa. Era muito fácil pôr a culpa no destino de todos os nossos erros, de todas as nossas más opções. Não, não! :-p
Nós temos que assumir a responsabilidade sobre os nossos actos.

Beijo,

ergela disse...

O destino quem o marca somos nós, minha amiga, para o bem e, para o mal, as nossas energias positivas ou negativas marcam aquilo que chamam "destino".

A menina já anda melhorzinha da sua saúde ?

Gosto de te "ver" lá pela minha xafarica, sabes que és sempre com alegria que "vejo" por lá amiga.Aquilo não é assim um grandeeee blogue, mas vai dando para me entreter e ter lá uns amigos que gosto.

Beijinhos.

Lia disse...

Eu acredito que o nosso fim está "escrito", que será quando tiver que ser, mas o caminho que fazemos até lá é da nossa inteira responsabilidade. Para o bem e para o mal acho que temos que assumir as escolhas que fizemos, pagar pelos nossos erros e ter o lucro das nossas vitórias!

FAQ(er) disse...

Estamos destinados a sobreviver até amanhã?
Não sabemos.
Mas esperamos que sim.
Às vezes, nem por isso.

cacau disse...

eu acredito que na vida a única certeza que temos é a incerteza acerca do futuro. qual seria a piada de viver num mundo em que não precisaríamos de mover uma palha para o que quer que fosse?? nenhuma... o nosso destino, somos nós que o fazemos. Factor sorte? Azar? talvez... mas se calhar é uma questão de perspectiva...

DIABINHOSFORA disse...

Melhor não acreditar em "destino" e fazer pela vidinha...esta é a minha posição :))

PB disse...

Penso que nós traçamos o nosso caminho e não somos marionetas nas mãos do destino. Realmente há situações que dão que pensar, mas não creio no destino. Penso assim.
Beijinhos

Jeanette Zork disse...

Destino???? Desconfio ...tenho as minhas sincera dúvidas.

Existe um caminho a percorrer, mas quem o traça sou eu...é como um mapa, tem vária opções para chegar ao destino. Em último caso, sou eu a melhor a dar as respostas sobre as oportunidades e desafios que aceitei, ou não.

Só acredito no destino, na medida em que todos nascemos destinados a ser felizes...mas isto sou eu nas minhas divagações.

Zork Kissis****