quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Perder alguém que nos é querido é das piores sensações, se não a pior de todas. É nestas alturas que nos fustiga a saudade. Sentimo-nos pequenos e impotentes perante a dor que carregamos. Os sentimentos não se controlam, não nestes momentos em que rejeitamos aceitar o inevitável adeus. Ontem partiu o meu terceiro avô. Não tenho o seu sangue, mas tenho gravado em mim as palavras sábias, os valores e o altruísmo que o caracterizavam. Foi e será sempre uma referência. Para ele todos tínhamos um fundo de bondade. Na sua vida não havia lugar a invejas, falsidades ou maledicências. Era um homem lutador, disponível, de olhar meigo e sempre de braços abertos. Da sua boca nunca ouvi um não. Amava incondicionalmente quem o rodeava. Era lutador, com um coração imenso, onde sei que tinha o meu lugar. Esteja onde estiver, quero acreditar que está bem e a olhar por todos aqueles que hoje choram a sua partida inesperada.

“Sei que nunca lhe disse que o amava, que nunca lhe agradeci por palavras a importância que teve no meu crescimento. Que mesmo mais distante, nos últimos anos, o via e sentia muita mais que um amigo. E que jamais esquecerei as sopas de leite com café que me fazia para o pequeno-almoço. Já vou tarde, mas ficarei sempre grata pelo carinho e a preocupação constante que tinha por saber de mim. Perdão pela minha ausência e por não ter sido mais do que o que fui. Obrigado por ter sido um avô presente, aquele que tantas vezes me carregou ao colo, tantas vezes me adormeceu, tantas vezes me contou histórias, tantas vezes me acenou para dizer até logo! Até já tio Sebastião (era assim que o tratava)...”


Até amanhã ou depois!

16 comentários:

RM disse...

Um beijo e um abraço sentido... Mesmo no outro lado da vida, onde não há a vida que nós conhecemos, acredita que não perdemos quem nos é mais querido. Este é só um afastamente necessário por um tempo.

Beijo muito grande e força...

João Pedro disse...

Conheço bem a sensação pela qual estás a passar, Only Words.
Eu acredito que estão lá, zelando por nós, tal como anjos da guarda.
E no meu coração irão continuar vivos até que a vida se canse de mim.
Um dia vamo-nos encontrar, olhar para trás e rir, rir muito!

Beijo,

korrosiva disse...

Os meus pêsames :(

beijinhoss

Analog Girl disse...

Que sorte poderes ter crescido com alguém tão presente e tão bom na tua vida...
Um abraço apertado e que o momento da tristeza dure o menos possível...

**

disse...

Também conheço essa sensação e já a escrevi, como forma de exorcizar a dor que fica por termos coisas por dizer...
Um beijo apertado para ti e muita força...

Menino do mar disse...

Os meus avós mais próximos também já partiram, sei a dor. Um abraço, acho que as palavras sabem a pouco nestes momentos

S* disse...

Felizmente nunca perdi ninguem proximo. Temo esse dia.

Muita forma menina. ***

ergela disse...

Aceita os meus sinceros pêsames.
Guarda no coração a imagem do teu avô como ele era.


:)um beijão amiga.

Hyndra disse...

Mais palavras para quê? Tu expressaste o que sentes muito bem :-D

HannaH disse...

conhecer essa sensação foi sempre das coisas que mais receei...quando aconteceu a dor foi muito diferente...foi um sentimento de um vazio tao profundo que nao cabia em palavras. imagino que te sintas assim. resta-nos acreditar que quem parte, parte para um sitio melhor. e por aki me fico porque as palavras nao valem de nada nestes momentos.

força e um beijinho grande.

DIABINHOSFORA disse...

É de facto muito duro perder alguém. Perdi o meu pai quando tinha 9 anos. Ainda hoje sinto a falta dele, muito mesmo! Tal como tu, nunca esquecerei tudo o que ele me deu...valores, amor, segurança, confiança, esforço, dedicação, exemplo...acho que muito daquilo que sou veio desses nove anos de convivência. Ainda tenho umas saudades loucas do colo dele e do orgulho que via nos seus olhos, sempre que eu fazia as coisas bem feitas. Mas aprendemos a conviver com essas saudades, vamos recordando os bons momentos com imenso carinho. Eu gosto de pensar que um dia voltarei a encontra-lo seja la onde e quando for.
Olha, não penses que por não teres verbalizado aquilo que sentias em relação a ele, ele não o sabia. Todos sabemos quando e quanto gostam de nós.
Tenta guardar sempre contigo as coisas boas que ele te deu.

Abraço grande.

Lídia Borges disse...

Esta despedida tão sentida traz uma lição importante que não podemos ignorar: todos os dias, são bons para manifestar o nosso amor, o nosso carinho por aqueles que nos são queridos.
A morte faz parte da vida!

Um beijo

Banita disse...

ohhhh Ontem foste tu, no dia 15 sou eu a ficar triste porque a minha avó morreu nesse dia vai fazer 3 anos... A vida é uma sucessão de momentos, desejo que quando olhes para trás, vejas mais os bons momentos do que os maus.
Um beijinho com xi-coração apertado

MARIINHA disse...

Todos nós passamos por isso, mas esteja ele onde estiver tens alguém que velará por ti. Acredita nisto.Eu acredito e muito. E sabes, eu penso como o João Pedro, também acredito que um dia nos encontraremos de novo. Um beijinho Only Words

PEDRO PINA disse...

sei esse sentimento de perda
conheço-lhe o cheiro
o sabor...
sabe a vazio

fika a memória
as boas memórias

Shakti disse...

Identifiquei-me com este post pois eu ja perdi alguem na kal nós pensamos serem imortais mas infelizmente não o são. Mas acredito nela, e k onde ela estiver olha por mim, pelos nossos. E lá está, vá para onde for, ela vem comigo no meu coração.

bjocas bom fds!