segunda-feira, 13 de abril de 2009

Nunca foi minha ambição casar e constituir família. O meu objectivo de sempre passou por construir uma vida fora do seio familiar. E assim foi. Já lá vão 11 anos de total independência. Não me arrependo de nada. Faria exactamente o mesmo que fiz há uma década atrás. Contínuo ligada à família, mas com a distância necessária para que não tenha que dar conta de tudo o que faço ou deixo de fazer. Uma vida assim não é necessariamente ideal, porque em determinada altura se sente a falta de calor humano entre as quatros paredes de um espaço chamado casa. Graças à minha ocupação profissional não tenho sentido tanto esse “vazio”. Durante anos passei mais tempo a dormir em quartos de hotel, do que na minha própria cama. Mas há mais de um ano que não é assim. Hoje, são raros os dias em que me vejo obrigada a grandes ausências.
Por sentir que os anos passam, que não caminho para nova, deparo-me com estes monólogos existenciais. Não me vejo casada, com filhos, nem presa a um local, mas gostava que algo mudasse. Por muito que pense, não sei o que me satisfaria neste campeonato, mas sei que sinto falta de algo mais. Atrevo-me a dizer que preciso e quero alguém que me sinta, entenda e aceite o que sou, como sou e quero continuar a ser. Alguém que não espere apenas receber, sem dar na mesma intensidade. Alguém que queira abraçar a vida com a loucura que me caracteriza. Alguém que respeite o meu espaço, o meu tempo, os meus defeitos e as minhas virtudes. Alguém que tenha sede de conhecimento. Alguém que me olhe nos olhos e ceife a frieza e incapacidade de entrega que hoje me representam.
.
.
Até amanhã ou depois!

5 comentários:

Sara M. disse...

tens de encontrar alguem por qm sintas isso tudo q descreveste. nao q o sinta por ti. ou melhor q isso, tens de encontrar alguem por qm sintas isso e por sua vez tb o sinta por ti.

acho q falta esse lado na tua descrição. apenas descreves a relaçao desse alguem p ti.

pq até podias ter tudo o q descreves e a coisa nao resultar.

nao sei se me faço entender. a esta hora é mais dificil..

*

New Radical disse...

Como te compreendo, como me revejo em ti...

Kiss e boa noite

p.s.-Hoje seria muito bom abraçar e ser abraçado antes de adormecer.

Analog Girl disse...

Compreendo, mas não penses demais. Nunca podemos ter tudo, infelizmente, mas o que é teu chegará certamente a ti...

Sanxeri disse...

Minha querida, eu também aprecio a liberdade. Ando ansiosa por viver sozinha, por ter o meu espaço e a minha total independência.

Mas é tão bom viver juntinho, dormir junto...

Only Words disse...

Sara, claro que o que desejo tem de ser recíproco ;)

New Radical, "temos" uma vida inteira pela frente, que tem, com toda a certeza, muita coisa boa à "nossa" espera!

Analog, eu não penso muito sobre o assunto, vou vivendo com a certeza que a felicidade não se acha, conquista-se ;)

Sanxeri, é muito bom termos o nosso espaço, mas também é muito agradável sentir o calor de alguém!