sábado, 24 de janeiro de 2009

E se...

Diz que é uma espécie de estupidez, aquela que me assalta quando tenho vontade de pegar na mala, com meia dúzia de peças de roupa, e zarpar para longe, bem longe de tudo e de todos. Não sei bem porque razão não faço o que sempre desejei?! Será medo, cobardia, falta de coragem e coisas que tais? Ou será que é o lado mais racional e pragmático que me castra este desejo? Não sei qual a resposta, nem me atrevo a advinhar. Gostava apenas de ter coragem, de não viver nesta constante insatisfação, de fazer o que me dá na real gana. E se partisse? E se deixasse tudo o que vivi até hoje? E se tudo fosse diferente, sem vazios por preencher? E se o medo se transformasse em esperança? E se um dia eu fizer o que tanto anseio? Bolas, merda para tantos "se's".
Enquanto penso no assunto, vou continuar parva, a olhar para o infinito, na esperança de alcançar algo que não sei identificar!


IMG CS

Até amanhã ou depois!

5 comentários:

Sara M. disse...

se calhar é alguma coisa que te prende ao "mundo real". eu às x tb tenho desses "vaipes". gostava de ter coragem para ir p qq sitio passar uma temporada. tirar fotografias, conhecer outras culturas etc etc. mas..

*

Alexandre disse...

If, by Pink Floyd

If I were a swan I’d be gone
If I were a train I’d be late
And if I were a good man
I’d talk with you more often than I do

If I were asleep I could dream
If I were afraid I could hide
If I go insane
Please don’t put your wires in my brain

If I were the moon I’d be cool
If I were a rule I would bend
If I were a good man
I’d understand the spaces between friends

If I were alone I would cry
And if I were with you I’d be home and dry
And if I go insane
Will you still let me join in with the game

If I were a swan I’d be gone
If I were a train I’d be late again
And if I were a good man
I’d talk with you more often than I do

Analog Girl disse...

Conheço bem esse drama. Creio que faz parte do crescimento. Ainda acreditamos ser possível voar novos vôos, mas sentimo-nos presas ao que já construímos.
O medo, a folha em branco, a incógnita de como será o futuro... Mas deixa que te diga, mesmo com toda a segurança do mundo, nada te garante que a vida não vai mudar drasticamente mais cedo ou mais tarde. Por vezes, enfrentar esse medo, é retomar algum controle da vida, já pensaste nisso dessa maneira?

(mas digo-te isto como cobardolas que sou)

Only Words disse...

Sara, por vezes é o "mundo real" que nos faz ter essa vontade de partir. Partir em busca de algo novo!

Alexandre, não sou grande fã de Pink Floyd, mas reconheço que esta letra tem tudo a ver com a questão dos "se's". Da dúvida que nos assola quando questionamos o que poderíamos ser se fossemos diferentes daquilo que somos!

Analogirl,~sei bem o que é enfrentar esse medo. Felizmente posso dizer que já parti em busca do que acreditava, mas gostava de ir mais além. Quem sabe um dia não o faça novamente ;)

Sara M. disse...

eu entendo-te..